FALANDO DE EDUCAÇÃO E DE TECNOLOGIA: OU DE MEIOS E FINS

Nós, seres humanos, somos dotados de algumas características interessantes. Primeiro, não nascemos prontos para a vida, mas ignorantes e incompetentes e dependentes dos cuidados alheios. Em segundo lugar, nossa natureza não é totalmente programada, e permite que cada um de nós decida o que ser e o que fazer na vida, pelo menos em ambientes … Continuar lendo FALANDO DE EDUCAÇÃO E DE TECNOLOGIA: OU DE MEIOS E FINS

O que aconteceu com nossa educação? Ou ‘kits da década de 70’.

As bancas de jornais vendiam toda quinzena, no início dos anos 70, kits de iniciação científica denominados “Os Cientistas”. Dentro das caixinhas de isopor encontrávamos os componentes necessários para interessantes experimentos baseados em grandes nomes da ciência. Salvo engano (eu tinha uns 10 anos de idade na época), o primeiro da série era Newton, seguido … Continuar lendo O que aconteceu com nossa educação? Ou ‘kits da década de 70’.

Engenheiro-Filósofo (de minha tese de doutoramento na UNICAMP)

Michael Hammer, o respeitado guru da reengenharia, recomendou, em seu livro Beyond Reengineering: How the Process-Centered Organization is Changing our Work and Our Lives (New York: HarperBusiness, 1996), que o profissional do futuro deve procurar ser um híbrido de filósofo e engenheiro (p. 237). Embora eu seja um engenheiro que esteja fazendo um doutorado em … Continuar lendo Engenheiro-Filósofo (de minha tese de doutoramento na UNICAMP)

Da Utilidade do que Aprendemos na Escola – ou “Quando vou usar isso em minha vida?”

Non scholae sed vitae discimus. — Sêneca A inspiração para este texto veio da leitura do excelente artigo de Douglas Corey, publicado na revista Cálculo, edição 48 de Janeiro de 2015. Quero discutir aqui uma antiga polêmica que permeia os ambientes da educação escolar, qual seja, o questionamento que os alunos costumam fazer sobre a … Continuar lendo Da Utilidade do que Aprendemos na Escola – ou “Quando vou usar isso em minha vida?”

Marvin Minsky (in memoriam)

Julho de 1998. Tinha acabado de comprar um exemplar do clássico Society of Mind, de Marvin Minsky, um dos criadores da Inteligência Artificial junto com John McCarthy. Considerado o primeiro hacker da história, fundou o lendário Artificial Intelligence Laboratory, no MIT, origem de pioneiros da computação como Richard Stallman, Seymour Papert e Danny Hillis. Era … Continuar lendo Marvin Minsky (in memoriam)

O Prefácio de Samuel Jay Keyser (MIT) ao meu novo livro

Conheci o autor do prefácio – professor Samuel Keyser – pela Internet, mesmo tendo passado mais de um mês muito próximo de seu ambiente de trabalho no MIT, durante o estágio de pós-doutoramento que lá desenvolvi em junho e julho de 2006. Pois bem. Falar de hackers e hacking – como o faz Jay Keyser … Continuar lendo O Prefácio de Samuel Jay Keyser (MIT) ao meu novo livro

Dissidente Cognitivo

Em geral, não observamos a realidade como é, mas aquilo se apresenta aos nossos recursos de interpretação dessa realidade. Somos, dessa forma, afetados por modelos mentais, que em muitos casos nos derrubam, nos derrotam. Atribuímos significados ao que nos cerca. Não adquirimos a objetividade do mundo, tal qual uma visão empirista clássica. E modelos mentais … Continuar lendo Dissidente Cognitivo